A Reserva Recomendada chega ao quarto

A Reserva Recomendada chega ao quarto ano. Faz hoje quatro anos que fiz a primeira publicação na Reserva Recomendada. Foi um ano difícil em que, tanto por questões pessoais como por questões profissionais, tive de baixar ligeiramente a cadencia de publicação de artigos nos últimos meses. Não pude aceitar alguns convites que me fizeram e mesmo relativamente àqueles que pude aceitar ainda hoje tenho muita coisa para publicar. Muitas coisas que já deviam ter sido publicadas mas está a ser difícil verem a luz do dia. Inaugurei uma espécie de prémios do blogue em que distingui o artigo mais popular, o melhor vinho e a melhor refeição de 2014. Pela primeira vez participei num painel de prova, no painel de prova da edição 62 da Paixão pelo Vinho.

A Reserva Recomendada chega ao quarto - reservarecomendada.blogspot.pt

Naveguei pelos mares da Avenida até desaguar em Paris. Escolhi os vossos vinhos com emoção e inspirei-me em Velasquez. Revivi o Verão já no Outono tanto na mesa como no copo. Visitei amigos e andei às voltas com as rolhas e a cortiça. Bebi vinhos, uns de outros tempos outros que marcaram recomeços, uns mais antigos, outros mais recentes, vinhos feitos homenagem, outros que viram novos ares. Festejei cogumelos à distancia e festejei estrelas cada vez mais brilhantes. Falei de estórias e de histórias. Exaltei as nossas conservas e os nossos enchidos. Comemorei datas importantes e regressei no tempo a sítios onde fui feliz aqui, ali e acolá. Visitei a tradição do passado feita de novo por quem faz o vinho do meu coração e que agora tem uma nova porta aberta para quiser provar. Provei obsessões, loucuras e obscenidades. Conversei sobre café à beira de um balcão de que já tinha ouvido falar enquanto viajava em pensamento pelas mesas portuguesas. Provei uma cozinha que conheço deixando-me ficar a baixas altitudes a beber um vinho de Verão. Assinei pela última vez a minha presença e deliciei-me à espera, finalmente, de um Verão fresco e informal.

Durante este ultimo ano publiquei 214 artigos, sendo metade notas de imprensa, que continuaram a alternar com os artigos editoriais. Tive cerca de 125 mil visualizações de páginas no último ano com uma média de cerca de 350 visualizações diárias. Ultrapassei no final de Junho a marca das 300 mil visualizações desde a criação do blogue. Em cada mês haverá cerca de 3100 visitantes individuais sendo que destes cerca de 170 destes visitam o blogue mais do uma vez durante um mês. Relativamente ao ano passado o crescimento em termos de tráfego do blogue terá sido da ordem dos 25%.

A página facebook do blogue conta neste momento com mais de 1570 seguidores, tendo registado um crescimento de cerca de 50% no último ano e o perfil no twitter duplicou o numero de seguidores tendo neste momento 1075 seguidores. A página no Google+ do blogue têm uma actividade mais residual. Além destes, a actividade do blogue pode ser seguida nos perfis do LinkedIn e do Instagram. No meu perfil de Instagram onde podem ir vendo em direto instantâneos das minhas experiências vínicas e gastronomicas, entre outras coisas. Estes instantâneos depois acabam por ser publicados também nos perfis do facebook e do twiter. Este ano inaugurei duas novas plataformas de divulgação do blogue: o Pinterest e Paper.li. No Pinterest partilho todos os artigos do blogue e as fotografias do Instagram. No Paper.li, iniciei há dias a publicação semanal de um resumo gerado automáticamente daquilo que publico no blogue e partilho no twiter e facebook.

O objectivo para o próximo ano é pelo menos manter a cadencia de publicação atual, no curto prazo não deverei conseguir muito mais. Se conseguir fazer uma melhoria aqui ou ali será sempre um bónus mas não será provável que consiga fazer muitos milagres pois ando com uns planos que me devem tirar ainda mais tempo. Daqui a alguns dias vou ter uma peleja vínica com o Jorge que espero que venha a ser ao menos divertida para quem quiser estar presente. Hoje sem que o tenha planeado para coincidir com os 4 anos do blogue vou jantar num sitio especial. Será sem dúvida uma comemoração muito digna para esta data e se quiserem espreitem o meu Instagram, facebook ou twitter, sou capaz de publicar qualquer coisinha.

Guia das Tascas e Tabernas de Portugal - www.wook.pt

Divulgação: Rua das Pretas de Pierre Aderne em digressão pelas adegas portuguesas

Nota de imprensa

As tertúlias Rua das Pretas de Pierre Aderne entram em digressão pelas adegas nacionais. Juntar o charme das vinhas com a delícia dos bons vinhos e o prazer de ouvir boa música tocada e cantada ao vivo, é o mote para fazer a primeira tournée vínica da Rua das Pretas e percorrer adegas do Alentejo, Lisboa, Bairrada, Douro e Dão. Pierre Aderne, o cantor e compositor do mundo, nascido em França, criado no Brasil, filho de um português e de uma brasileira e que nos últimos dez anos tem levado Portugal em harmonias, letras e melodias, inicia o tour-vínico no dia 29 de Agosto, das 19 às 22 horas na Herdade do Esporão. A primeira tertúlia vínica conta com a presença de Nadine Brás, João Barradas e Tiago Pereira - autor da Musica Portuguesa a gostar dela própria - que traz Paulo Colaço de fortes raízes de música alentejana.

Divulgação: Rua das Pretas de Pierre Aderne em digressão pelas adegas portuguesas - reservarecomendada.blogspot.pt

Kátia Guerreiro, Cristiana Águas, Cuca Roseta, Sara Tavares, entre muitos outros, são nomes e amigos que Pierre Aderne convida regularmente para participarem nas suas Rua das Pretas.

O vinho e a música têm a capacidade de juntar pessoas de forma orgânica e criar momentos especiais de partilha. O facto de ser em adegas potência ainda mais essa aproximação entre público e artista. Será tempo, nas adegas, de receber pessoas e celebrar o seu maravilhoso vinho. Quando iniciei estas tertúlias vínicas há quase 10 anos, ainda no Rio de Janeiro, sonhava em poder fazê-las em adegas portuguesas, pois o vinho sempre foi o fio condutor dessas noites. a guitarra, a voz e um copo cheio de histórias a serem partilhadas. Estar perto desses compositores (produtores) que tanto admiro é uma dádiva. Bem haja!, refere Pierre Aderne.


Sobre Pierre Aderne
Nascido em França, mas criado no Brasil, radicou-se no país paterno há cerca de 4 anos, Portugal, e trouxe consigo as tertúlias musicais que já fazia na sua casa de Ipanema, onde o vinho era o fio condutor de cada noite. Por lá passaram Caetano Veloso, Gilbeto Gil, Ana Moura, Carminho, Fernanda Abreu, Nelly McKay, Anna Maria Jopek, Valter Hugo Mãe, entre tantos outros. Em 2011 quis documentar as suas tertulias, em Lisboa a que deu o nome da rua onde viveu: Rua das Pretas. Ao longo da sua carreira, o cantor arrecadou prémios e distinções: Música Portuguesa Brasileira foi prémio de honra do Douro Film Harvest 2012; escolha oficial do Festival do Rio visto por, aproximadamente, 16 milhões de brasileiros. Cantor e compositor, com vários discos editados pelo mundo. Além do seu próprio trabalho com colaborações diversas com artistas lusófonos do jazz e da world music, como Melody Gardot, Madeleine Peyroux, Tito Paris, Jorge Palma, Sara Tavares, entre outros, compôs também músicas e letras para vários cantores portugueses e brasileiros como António Zambujo, Seu Jorge, Cristiana Águas, Cuca Roseta entre tantos outros. Para além de músico de talento único pela personalidade da sua música, nutre uma paixão ímpar pelo vinho português e que inspirou a tatuagem que tem no seu braço - o símbolo do Douro -, como prova de amor eterno. Compôs três músicas para a região e para o vinho português, entre elas Neblina, uma ode à touriga nacional, filmado no outono da Quinta do Crasto.

Este é um artigo de divulgação cujo conteúdo é da inteira responsabilidade do produtor ou promotor do produto ou serviço divulgado. O blogue Reserva Recomendada divulga esta nota de imprensa na convicção de que poderá ser útil aos seus leitores embora o seu conteúdo possa não corresponder à opinião e linha editorial do autor deste blogue.

Receitas de Gelados - www.wook.pt

Delícias de Goa

O restaurante Delícias de Goa não me era desconhecido, já por lá tinha passado faz alguns anos e tinha-o em muito boa conta. A Ana trabalha ali por perto e de vez em quando almoçava por lá e acabou por ser ela que me levou lá a primeira vez com amigos. Agora voltei lá por ocasião do Jantar dos Descobrimentos, um jantar onde se pretendia dar a conhecer dois pratos que mostram como poucos a adaptação dos ingredientes e sabores portugueses ao território Goês. São pratos que devido a necessitarem de uma preparação mais demorada não estão disponíveis na carta do restaurante sendo somente preparados em ocasiões especiais como foi esta.

Delícias de Goa - reservarecomendada.blogspot.pt

Começamos como uma entrada em que tínhamos uns mexilhões panados com uma fritura perfeita a chegarem à mesa quentes, sequinhos, crocantes e com algum picante, e uns camarões enrolados em massa filo que faziam lembrar um clichê que por vez nos assalta nos restaurantes chineses baratos mas que nos chegavam também com uma fritura perfeita, ligeiramente picantes e um toque especial no sabor que me pareceu ser cominhos. Seria difícil começar melhor... Coisas simples, quase banais, quase clichês mas que pelo sabor distinto e uma ótima execução nos deixam tremendamente satisfeitos.


Seguiu-se uma das estrelas da noite a Apa de Camarão à Goesa. A Apa de Camarão é uma bôla que foi adaptada aos ingredientes locais apôs a chegada dos portugueses a Gôa. O seu aspecto, confesso, não parecia prometedor, parecendo um pouco seca, mas ao provar todas as reticencias se desvaneceram. Uma massa leve com alguma doçura que ligava na perfeição com o picante do recheio de camarão.


Continuamos com a segunda estrela da noite o Leitão à Damão que também não primava pelo aspeto mas que em sintonia com pratos anteriores não desiludia na boca. Muito tenro e com um sedutor crocante, sabor ligeiramente anizado (funcho talvez) sendo o leitão marinado em vindalho. O vindalho tem origem na vinha d'alhos que foi adaptado aos ingredientes e especiarias locais.


Terminámos com uma Bebinca de Leite de Macau. Este doce é mais um exemplo da influencia da diáspora portuguesa nas cozinhas dos locais por onde passámos. A sua receita tem muitas semelhanças com um doce conventual português, o Manjar Branco, devendo ser essa a sua origem. O nome parece ter origem na Bebinca Goesa embora não se perceba muito bem as razões que levaram à adopção deste nome. Parece indiciar que este doce terá sido levado de Portugal para Goa e posteriormente para Macau mas não há evidencias que corroborem isto. Este final deixou-me a pensar que depois do restaurante de Macau na Expo 98, ao qual fui duas ou três vezes, não há nenhum restaurante de cozinha macaense em Lisboa o que me parece uma grave omissão na restauração lisboeta. Enquanto escrevia isto descobri que a Casa de Macau parece que organiza Comizainas todas as quartas-feiras ao almoço podendo-se desfrutar uma refeição macaense. Tenho de ver se um dia destes passo por lá.


O Delícias de Goa é restaurante familiar onde o dono, José de Paula Rodrigues, está na sala e o filho Miguel está na cozinha, onde as receitas estão escritas à mão num velho caderno da mãe do Miguel. Até não perdia se fizesse uma pequena lavagem de cara numa sala, já a acusar um pouco o passar anos, um empratamento mais moderno e apelativo também podia trazer alguma vantagem mas rapidamente esquecemos tudo isto quando damos a primeira dentada e sentimos a autenticidade dos sabores e se percebe a qualidade da execução. É comida autêntica o que temos aqui.


Foi curioso verificar a presença neste jantar de famílias de origem goesa que serão clientes regulares do restaurante e que nesta ocasião não quiseram deixar de vir comer dois pratos emblemáticos da sua cozinha e que provavelmente não terão oportunidade de provar com regularidade. A aposta em jantares temáticos é para manter nas últimas quintas-feiras do mês sendo próximo já amanhã, desta vez um Jantar Vegetariano à moda de Gôa estando previstos, entre outros, pratos como Biriany de Legumes, Delícias dos Rajás (mooglight) e Chacuti Vegetariano. Será mais uma boa oportunidade para conhecerem esta delicia de Lisboa.

Portugal - O Melhor Peixe do Mundo - www.wook.pt

Divulgação: Herdade das Servas convida a pisar uvas em lagares de mármore

Nota de imprensa


Herdade das Servas convida a pisar uvas em lagares de mármore

Vindimas: é por definição a época mais gratificante do ano vitícola! Altura de azáfama na vinha e na adega; tempo de apanhar as uvas e dar início à produção de novas colheitas no que ao vinho diz respeito. A vindima na Herdade das Servas começa para a semana e a família Serrano Mira desafio-a envolver-se no espírito, sendo um elemento activo da colheita de 2015. O convite é para que venha sentir o Alentejo de corpo e alma na Herdade das Servas!.

Divulgação: Herdade das Servas convida à experiência de pisar uvas em lagares de mármore - reservarecomendada.blogspot.pt

Se no Douro os lagares de pedra são um elemento central e de forte carisma na produção de vinho, no Alentejo essa não é uma realidade tão marcante. Não são muitos os produtores com lagares de pedra, pedra essa que na região é mármore e não granito. A Herdade das Servas, um projecto recente de uma das mais antigas famílias produtoras de vinho na região, inaugura nesta colheita de 2015 os seus lagares de pedra, motivo que levou à criação de um programa de Pisa a pé nos lagares da Herdade das Servas.

O programa de vindimas da Herdade das Servas começa com uma introdução sobre o projecto na zona de recepção dos visitantes, seguida de uma visita à adega e à cave de estágio das barricas. Posto isto é tempo de meter mãos-à-obra, não na vinha porque as temperaturas são elevadas e a distância pode ser grande, mas na mesa de escolha, onde é feita a selecção das melhores uvas. Ainda antes de acalentar o estômago há que exercitar as pernas – como se de uma aula de step em ambiente de spa com produtos vínicos se tratasse –, pisando as uvas eleitas nos novos lagares de pedra mármore. Para abrir as hostes da refeição é feita uma prova de vinhos, à qual se segue um almoço com Menu de Vindimas no Restaurante Herdade das Servas. A chefe Maria da Fé tem duas opções, uma de bacalhau e outra de carne.

Um programa de um dia que não ficaria completo sem a oferta de uma t-shirt de vindima, um diploma de participação e uma garrafa de vinho que o fará prolongar a experiência vínica até casa. Disponível por marcação através dos contactos da Herdade das Servas, 269 322 949 e info@herdadedasservas.com, este é um programa acessível por €50,00 ou €25,00, caso inclua ou não almoço.

PROGRAMAS DE VINDIMAS NA HERDADE DAS SERVAS

Pisa a Pé em Lagares de Mármore e Almoço
  • Recepção dos participantes
  • Visita à adega, zona de vinificação e cave de estágio
  • Selecção das uvas na mesa de escolha
  • Pisa a pé em lagares de mármore
  • Prova de vinhos
  • Almoço no restaurante Herdade das Servas
  • Oferta de t-shirt de vindima, diploma de participação e garrafa de vinho
Preço: €50,00 por pessoa

Pisa a Pé em Lagares de Mármore
  • Recepção dos participantes
  • Visita à adega, zona de vinificação e cave de estágio
  • Selecção das uvas na mesa de escolha
  • Pisa a pé em lagares de mármore
  • Prova de vinhos
  • Oferta de t-shirt de vindima, diploma de participação e garrafa de vinho
Preço: €25,00 por pessoa

Observações
  • O material necessário para a pisa a pé é da responsabilidade da Herdade das Servas
  • Programa válido de segunda a sexta-feira
  • Mínimo de 2 pessoas e máximo de 8 pessoas por acção
  • O programa pode ser cancelado em caso de intempérie ou vindima antecipada


Herdade das Servas Colheita Seleccionada tinto 2012 atinge o ouro

Depois dos 90 pontos atribuídos muito recentemente pela prestigiada revista norte-americana Wine Enthusiast, o Herdade das Servas Colheita Seleccionada tinto 2012 volta a estar debaixo dos holofotes com mais uma distinção internacional, ao conquistar uma medalha de ouro no concurso Les Citadelles du Vin 2015. É caso para dizer que este néctar alentejano vale ouro!


Esta é a sétima vez que a Herdade das Servas – projecto da família Serrano Mira, uma das mais antigas na produção de vinho no Alentejo – participa neste concurso, de onde trouxe já vários prémios.

O Herdade das Servas Colheita Seleccionada tinto 2012 é um típico alentejano de blend criado a partir de Touriga Nacional, Alicante Bouschet, Aragonez e Trincadeira. Um vinho de cor rubi escura com aromas a frutos pretos maduros integrados com boas notas de especiarias, sugerindo pimenta. É fresco e envolvente. A acidez confere-lhe elegância, num conjunto bem estruturado de final persistente.

O Les Citadelles du Vin decorre todos os anos, em Maio, na vila de Bourg, em Bordéus, França. Este ano os mais de 50 provadores reuniram-se de 23 a 25 de Maio para avaliaram cerca de 1200 vinhos de todos o mundo. Os resultados, esses foram anunciados apenas durante a feira Vinexpo, que decorreu entre 14 e 18 de junho.


Herdade das Servas Colheita Seleccionada tinto 2012 com 90 pontos

O Herdade das Servas Colheita Seleccionada tinto volta a estar em destaque no panorama internacional. A prestigiada revista norte-americana Wine Enthusiast atribuiu 90 pontos à colheita de 2012, lançada no final do ano passado. A crítica, que foi publicada na edição de Junho da revista e que está disponível on-line – em www.winemag.com – é assinada por Roger Voss, editor europeu e profundo conhecer dos vinhos portugueses.

Uma boa notícia com destino ao Alentejo que vem cimentar a performance deste vinho da família Serrano Mira. Recorde-se que a colheita de 2011 foi bafejada em 2014 com cinco medalhas nas mais prestigiadas competições internacionais: ouro no Sélections Mondiales des Vins, no Concours Mondial de Bruxelles e no Challenge International du Vin; e duas de prata, uma no Mundus Vini e outra no International Wine Challenge.

O crítico da Wine Enthusiast, publicação fundada em 1988 por Adam e Sybil Strum e que conta com uma audiência global de sensivelmente 800 mil leitores, destacou um vinho poderoso e com uma estrutura concentrada: This is powerful stuff, packed tightly with tannins, juicy black fruits and a solid, concentrated structure. The wine is ripe and spicy, with a touch of pepper from the alcohol. It is also dense, still firm and needs further time to develop. Drink from 2016.

O Herdade das Servas Colheita Seleccionada tinto 2012 é um típico alentejano de blend criado a partir de Touriga Nacional, Alicante Bouschet, Aragonez e Trincadeira. Um vinho de cor rubi escura com aromas a frutos pretos maduros integrados com boas notas de especiarias, sugerindo pimenta. É fresco e envolvente. A acidez confere-lhe elegância, num conjunto bem estruturado de final persistente.


Irmãos Serrano Mira lançaram terceira edição do Herdade das Servas Vinhas Velhas

Os irmãos Carlos e Luís Serrano Mira lançaram em Maio a tão aguardada terceira edição do Herdade das Servas Vinhas Velhas, um Reserva tinto da colheita de 2012 que se propõe a fazer as delícias dos connaisseurs, tal como os seus antecessores – o de 2005 e o de 2009 –, que conquistaram alguns dos mais prestigiados galardões internacionais.


A nova colheita promete aliciantes novidades: a estreia do 2012 prevê garrafas de 750 ml – com um preço recomendado de € 25,00 –, mas para o final do ano fica a promessa de garrafas magnum, double-magnum, de seis, doze e dezoito litros. Desta edição, são 2.000 as garrafas que o produtor vai guardar na cave da Herdade das Servas, sendo postas à venda apenas daqui a uma dezena ou dúzia de anos. Uma estratégia que vem reforçar o facto de este ser um vinho de guarda. Dez anos passaram desde a primeira colheita (2005) e o vinho está em grande forma.

Proveniente de vinhas cinquentenárias da família, o Herdade das Servas Vinhas Velhas Reserva tinto 2012 é um néctar para quem se orgulha de possuir uma garrafeira recheada de vinhos premium. Com um volume de álcool de 15,5%, é um blend poderoso mas simultaneamente fresco. É feito a partir das castas Alicante Bouschet (45%), Aragonez (25%), Alfrocheiro (18%) e Petit Verdot (12%) que, como é apanágio da Herdade das Servas, foram vinificadas e estagiaram separadamente antes da criação do lote.

Um ano e meio foi o tempo de estágio em barricas de carvalho francês (80%) e americano (20%), oriundas das melhores tanoarias internacionais; seguiram-se cerca de doze meses em garrafa na cave da Herdade. O Herdade das Servas Vinhas Velhas Reserva tinto 2012 destaca-se pela sua cor violeta-escuro, aromas a frutos pretos maduros, com compotas, especiarias e chocolate negro. No paladar, é complexo, intenso, aveludado e possuiu taninos redondos. Na mesa pede para ser servido a 16.º-18.ºC, depois de decantado, a acompanhar carnes vermelhas e caça, queijos intensos e enchidos.


Brancos de 2014 do Monte das Servas e Vinhas das Servas estão no mercado

A subida das temperaturas e a chegada da Primavera coincidiu este ano com o lançamento das primeiras colheitas da Herdade das Servas, ambos brancos da vindima de 2014. Monte das Servas Escolha e Vinha das Servas são dois vinhos frescos e cítricos, que combinam primorosamente com os tradicionais pratos leves da estação, ideais para dar as boas-vindas ao calor.


De cor cítrica aloirada, caracteriza-se nas suas notas de prova pelos aromas a frutos tropicais maduros, integrados com notas de mel e envoltos em nuances florais. É fresco, frutado, elegante e com boa acidez, terminando com um final agradável e persistente. Para atingir este perfil, a que a família Serrano Mira já nos habituou, a presença da típica casta alentejana Roupeiro foi acentuada (60%), tendo-se estreado a uvas de Sémillon (10%) no lote, que só fica completo com o Antão Vaz (10%) e o Verdelho (20%).


Também da responsabilidade dos enólogos da herdade, Luís Serrano Mira (proprietário e administrador) e Tiago Garcia, surge o Vinha das Servas branco 2014. Fresco e frutado, apresenta uma cor cítrica e conta com aromas de frutos tropicais. Um néctar com boa acidez e um final de boca agradável, produzido a partir de uma trilogia de castas: Roupeiro, Antão Vaz e Arinto, oriundas dos solos vermelhos de xisto e argila xistosa de Estremoz. Quando apreciado à temperatura certa de 12 a 14 graus, garante uma harmonização gastronómica perfeita com peixes grelhados e saladas. Um vinho de entrada de gama habituado a selos de Boa Compra, quer nacional, quer internacionalmente, como aconteceu com a colheita de 2011 que se destacou como Melhor Compra 2013 pela prestigiada revista Wine Enthusiast.

Preços de Venda ao Público Recomendados | Garrafa de 750 ml
Monte das Servas Escolha branco 2014 = € 4,54
Vinha das Servas branco 2014 = € 2,97


Sobre a Serrano Mira – Sociedade Vinícola, S.A. | Herdade das Servas
A família Serrano Mira é uma das mais antigas na produção de vinho do Alentejo. Nas suas propriedades foram conservadas talhas de barro utilizadas na feitoria do vinho que datam de 1667. Estávamos em 1955 e o bisavô materno dos irmãos Carlos e Luís – a sexta geração de vitivinicultores desta família – foi um dos três sócios fundadores e o primeiro presidente de uma Adega Cooperativa no Alentejo. O avô paterno, Manuel Joaquim Mira, foi o primeiro a engarrafar os vinhos da família, na década de 1940, tendo criado uma das primeiras empresas particulares na produção de vinhos no Alentejo. Para perpetuar a história e a ligação da família ao mundo do vinho, mas desenhando e construindo um novo caminho, os irmãos Serrano Mira arrancaram, em 1998, com o projecto da Herdade das Servas. A Herdade das Servas zela actualmente por um património vitivinícola de 300 hectares, destacando-se as vinhas do Azinhal, da Judia, do Monte dos Clérigos e das Servas. Vinhas distintas entre si e que se complementam na idade, algumas com mais de 65 anos, e na identidade. Se o pelouro da viticultura está nas mãos do Carlos, a enologia está sob a batuta de Luís Serrano Mira e do enólogo Tiago Garcia. A Herdade das Servas está equipada com a mais moderna tecnologia de recepção, vinificação e envelhecimento, produzindo vinhos com tradição, tempo, sabedoria e qualidade. Brancos, rosés e tintos chegam ao mercado com as marcas Vinha das Servas, Monte das Servas e Herdade das Servas. Em 2014 foi criada uma nova marca, Valle das Servas, para o mercado internacional e para a distribuição moderna. Com vinhos para um consumo descomplicado, para o dia-a-dia de um consumidor mais exigente e para momentos especiais, a aposta é na diversificação, sempre com o objectivo de satisfazer o gosto do consumidor. O enoturismo foi desde sempre uma “peça” fundamental deste projecto. Receber e mostrar o processo de criação dos vinhos da Herdade das Servas faz parte da filosofia da família e da empresa. As etapas de degustação e harmonização gastronómica não foram esquecidas. A Herdade das Servas abre as suas portas para dar a conhecer os segredos de uma das mais antigas famílias produtoras de vinho no Alentejo. É com orgulho que a família Serrano Mira partilha a sua experiência e tradição na criação de vinhos com história e o Alentejo de corpo e alma. O convite é para que viva uma experiência única em comunhão com alguns dos mais preciosos néctares de Baco.

Este é um artigo de divulgação cujo conteúdo é da inteira responsabilidade do produtor ou promotor do produto ou serviço divulgado. O blogue Reserva Recomendada divulga esta nota de imprensa na convicção de que poderá ser útil aos seus leitores embora o seu conteúdo possa não corresponder à opinião e linha editorial do autor deste blogue.

Ervas Aromáticas na Cozinha - www.wook.pt

Cervejaria Covela

Apesar de estar já bem perto do Douro e de o seu terroir já ter muito de Douro a Covela fica dentro da zona demarcada dos Vinhos Verdes e nos brancos a aposta tem muito a ver com aquilo que é o perfil moderno do Vinho Verdes. Quem ainda não reconhecer o Vinho Verde como uma região vitivinícola mas como um tipo de vinho com características particulares como um perfil mais rústico, com elevada acidez, por vezes com alguma doçura e algum gás carbónico não irá reconhecer nestes vinhos um vinho verde mas o que alguns ainda chamam de branco maduro. Se essa distinção continua a fazer-vos sentido usem-na, não tenho pretensões de perturbar o vosso Feng Shui mental. Mas tenham em atenção que por definição um Vinho Verde Branco é simplesmente um vinho branco produzido na região dos Vinhos Verdes com as castas autorizadas pela denominação de origem.

Cervejaria Covela - reservarecomendada.blogspot.pt

Divulgação: Bye Bye Summer Wine Party

Nota de imprensa

As férias de verão podem estar a terminar, mas a festa continua e promete encher os jardins do Marriott Lisboa com pessoas felizes e com o som dos muitos brindes feitos com vinhos de excelência!

Organizado no pela Purple ME e a revista Paixão pelo Vinho, com o apoio do Lisboa Marriott Hotel, o evento Bye Bye Summer Wine Party, realiza-se no próximo dia 10 de setembro e é a segunda parte da festa vínica que, no Marriott, reúne largas centenas de apreciadores das coisas boa da vida, com grande destaque para o vinho e os petiscos. A primeira parte – Hello Summer Wine Party - realizou-se no dia 25 de junho e contou com cerca de 1000 pessoas.

Divulgação: Bye Bye Summer Wine Party - reservarecomendada.blogspot.pt

Bye Bye Summer Wine Party vai ser o mote para a descoberta de excelentes vinhos, muita animação, jogos vínicos, passatempos e prémios, música, tapas e petiscos... Assim, no próximo dia 10 de setembro, estão todos convidados a participar desta festa vínica que começará às 18H00 e terminará às 23H00. A entrada tem um custo de 5,00 Euros e contempla a oferta do copo que dá acesso à prova de todos os vinhos presentes no evento. Durante todo o evento estarão disponíveis petiscos com a assinatura do Chef António Alexandre que terão um custo de 5,00 Euros por porção.


SOBRE A REVISTA PAIXÃO PELO VINHO
A revista Paixão pelo Vinho destina-se a um público cosmopolita, jovem e atento ao que de melhor a vida tem para oferecer. Com um design e imagem modernos, esta publicação dedica-se ao mundo dos vinhos, com destaque para os vinhos portugueses, gastronomia e turismo, pretendendo ser um verdadeiro elogio para os cinco sentidos. Liderada por Maria Helena Duarte, resulta de um trabalho movido pela paixão de uma extensa equipa, entre jornalistas, provadores, opinion makers, bloggers e colaboradores especializados nas áreas de gastronomia, enoturismo e vinhos. A Paixão pelo Vinho é publicada com periodicidade trimestral, tendo versão impressa distribuída pela VASP e posterior edição on-line de acesso gratuito, sendo a única revista da especialidade que tem como principio a total partilha de conteúdos sem fronteiras nem barreiras. Em julho completou nove anos de publicações consecutivas, sendo uma referência em Portugal e na comunidade de língua portuguesa espalhada pelo mundo.


SOBRE O MARRIOTT HOTEL LISBOA
É o hotel com o mais belo jardim de Lisboa e, por isso mesmo, é reconhecido como “um oásis dentro da cidade”. Com uma localização privilegiada, a apenas 15 minutos do aeroporto, a 10 minutos do centro da cidade e facilidade de acesso a todas as principais vias rodoviárias de Lisboa. Tem estação de metro nas proximidades e é o único hotel com estacionamento para seis autocarros em simultâneo.São, ao todo, 577 quartos plenos de conforto, onde nada falta para uma estadia de qualidade. É perfeito para a realização de todo o tipo de eventos, seja no interior ou no exterior. O Chef António Alexandre lidera a cozinha do Citrus Restaurante. Situado junto ao jardim, este restaurante oferece um ambiente fresco e descontraído com uma grande capacidade de lugares. Serve pequeno almoço, almoço, jantar e refeições ligeiras a qualquer hora do dia. O hóspede poderá, ainda, optar por ser servido na esplanada do jardim. Para mais informações por favor consulte: www.lisboamarriott.com

Este é um artigo de divulgação cujo conteúdo é da inteira responsabilidade do produtor ou promotor do produto ou serviço divulgado. O blogue Reserva Recomendada divulga esta nota de imprensa na convicção de que poderá ser útil aos seus leitores embora o seu conteúdo possa não corresponder à opinião e linha editorial do autor deste blogue.

Eventos de Setembro de 2015

Os eventos agendados para Setembro de 2015 são os seguintes:

Eventos de Setembro de 2015 - reservarecomendada.blogspot.pt

Divulgação: I Trod La Rosa dá mote a programa de vindimas na Quinta de La Rosa

Nota de imprensa


I Trod La Rosa dá mote a programa de vindimas na Quinta de La Rosa

No Douro, talvez mais do que noutra região vinícola, a época de vindimas é sinónimo de trabalho árduo, mas é também altura de contemplação e festa em agradecimento da boa colheita. Para celebrar o momento, a Quinta de La Rosa convida os visitantes da região a vindimar dentro de portas. I Trod La Rosa (em português Eu Pisei La Rosa) dá mote ao programa nesta que é propriedade com uma localização privilegiada: à beira rio junto à vila do Pinhão, em pleno coração do Douro.

Divulgação: I Trod La Rosa dá mote a programa de vindimas na Quinta de La Rosa - reservarecomendada.blogspot.pt

O Verão da João Portugal Ramos

O Verão pede vinhos frescos e normalmente a frescura faz-se de brancos mas um tinto bem escolhido e à temperatura certa também pode fazer boa companhia. Hoje deixo aqui alguns vinhos da João Portugal Ramos, predominantemente brancos embora também conste um tinto, que não vos deverão deixar ficar mal neste Verão. Diga-se que da grande novidade da João Portugal Ramos para este Verão, a gama Pouca Roupa, até já falei aqui mas estas referencias de que vos falar hoje são aquelas já estão estabelecidas no mercado há mais tempo e por isso mais fáceis de encontrar.

O Verão da João Portugal Ramos - reservarecomendada.blogspot.pt

Divulgação: Real Companhia Velha propõe Harvest Experience em duas quintas no Douro

Nota de imprensa


Real Companhia Velha propõe Harvest Experience em duas quintas no Douro

Depois das férias de Verão inicia-se aquela que os produtores de vinho consideram a época mais importante do ano vitivinícola. É tempo de se rumar à terra e de se abrirem as portas da adega onde, de bom grado, se receberão as uvas que durante o ano tanta devoção e empenho se lhes dedicaram. A Real Companhia Velha estreia este ano um programa de vindimas aberto à participação dos visitantes durienses, nos meses de Setembro e Outubro.

Divulgação: Real Companhia Velha propõe Harvest Experience em duas quintas no Douro - reservarecomendada.blogspot.pt

Divulgação: Novidades na 3ª edição do Encontro com o Vinho e Sabores Bairrada

Nota de imprensa


Novidades na 3ª edição do Encontro com o Vinho e Sabores Bairrada

Não há duas sem três!: uma expressão popular que assenta na perfeição no Encontro com o Vinho e Sabores Bairrada, que se realiza pelo terceiro ano consecutivo. Nos dias 11, 12 e 13 de Setembro o encontro volta a ter lugar no Velódromo Nacional - Centro de Alto Rendimento de Sangalhos, no concelho de Anadia, numa organização conjunta da Turismo do Centro de Portugal, da Comissão Vitivinícola da Bairrada e do Município de Anadia, com produção da Revista de Vinhos e apoio da Rota da Bairrada, Instituto da Vinha e do Vinho, ViniPortugal, entre outras entidades.

Divulgação: Novidades na 3ª edição do Encontro com o Vinho e Sabores Bairrada - reservarecomendada.blogspot.pt

Páginas mais Populares em Julho de 2015

Os artigos mais populares no mês de Julho de 2015 foram:

Páginas mais Populares em Julho de 2015 - reservarecomendada.blogspot.pt

Divulgação: Maria João de Almeida lança novo site

Nota de imprensa

A jornalista e crítica de vinhos Maria João de Almeida lançou um novo site, já on-line (www.mariajoaodealmeida.com), que vem substituir o seu antigo portal, existente desde 2008, e o VinhoTV, um canal de programas on-line que coexistia com o site. A renovação do design é bem evidente, assim como o conteúdo.

Divulgação: Maria João de Almeida lança novo site - reservarecomendada.blogspot.pt

Rodrigo Ó Balcão

A primeira vez que ouvi falar da Taberna Ó Balcão foi durante a Gala dos Vinhos do Tejo quando recebeu o prémio de revelação da 5ª edição do Tejo Gourmet. A sala ficou eufórica com o anúncio e um clamor de vitória ecoou pela sala. Ena! Trouxeram claque. - pensei alto. Na mesa quem conhecia a casa garantia-me o merecimento deste prémio. Mais tarde em conversa com Rodrigo Castelo diziam-me ele que imediatamente antes deste anúncio a desilusão se tinha apoderado da equipa pois já tendo sido anunciadas as medalhas de prata e ouro e todos os outros prémios com a excepção do melhor restaurante, parecia-lhes de uma extrema injustiça a não obtenção de qualquer distinção.

Rodrigo Ó Balcão - reservarecomendada.blogspot.pt

Divulgação: Quinta do Crasto: o dia perfeito no Douro

Nota de imprensa


Quinta do Crasto: o dia perfeito no Douro

A Quinta do Crasto é uma das paragens obrigatórias para milhares de turistas todos os anos. Só em 2014, mais de 3 mil visitantes, nacionais e estrangeiros, passaram pela propriedade situada na margem direita do Rio Douro, uma localização privilegiada entre a Régua e o Pinhão. Este ano o número promete aumentar, já que repetiu o Certificado de Excelência atribuído pelo TripAdvisor.

Divulgação: Quinta do Crasto: o dia perfeito no Douro - reservarecomendada.blogspot.pt